Loading

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

sinusite - luffa op (sinustrat)

Em 22 de outubro de 2012 14:05, Paulo Rios Filho <pauloriosfilho@gmail.com> escreveu:

Obrigado! Claro, pode publicar a mensagem. Foi assim, através de emails publicados por lá, que comecei a compreender melhor o tratamento com Luffa.

Antes mesmo da interferência em nossos aparelhos auditivo e fonador, a sinusite atrapalha o fazer musical já no ponto em que mexe muito com a nossa cabeça e capacidade de concentração.

Abraço,
Paulo

Em 22 de outubro de 2012 12:50, Luiz Roberto Salvatori Meira <falecom@luizmeira.com> escreveu:

Prezado Paulo,

Grande satisfação em constatar que compreendeu detalhes importantes da higiene dos seios da face. Esta perspectiva é um hiato em nossa cultura onde sua retificação pode ajudar a maioria das pessoas.

A análise do fluxo nasal está coerente com o efeito vasoconstritor e ação residual, modulada pelo fluxo e umidade ambiente.

O vapor após a instilação lava a Luffa, diminuindo o efeito residual.

A diluição ao meio ou 1/4 diminui os efeitos esperados como muito bem descritos.

Para mobilizar secreções endurecidas na forma de crostas justapostas às reentrâncias ósseas é necessário grande fluxo e variável.
Quando a secreção está translúcida é melhor diminuir a freqüência ou a dose da Luffa, interromper de vez em quando e retomar se necessário.

Gostei de ver seus sites, 
a nossa caixa de ressonância interfere tanto na emissão como percepção do som, assumindo posição importante na área musical.

Gostaria mensagem no blog de fitoterapia com sua identidade, assim fazemos publicidade prá vc, o que acha?

Abraços
       Luiz Meira



Em 21 de outubro de 2012 23:22, Paulo Rios Filho <pauloriosfilho@gmail.com> escreveu:

Caro Dr. Luiz,

Tendo sido diagnosticado com sinusite crônica já há algum tempo, após uma crise e uma gripe (tosse seca, dor de cabeça e febre baixa), ministrei três doses (em dois dias) de Sinustrat, sem diluir, sendo cada uma três gotas em cada narina.

Estou meio desesperado, sem saber se devo continuar com o tratamento. Apesar de muito rapidamente sentir a ação da Luffa nos sinos, acordei (após a segunda dose, na noite anterior) com a mucosa muito irritada, espirrei (espirros violentos) durante todo o dia, e agora estou com uma inconstante constipação nasal, que revesa entre as narinas, sem ter ainda cessado a irritação.

Já li no seu excelente site que isto é mesmo normal.

No entanto, posso notar que o muco eliminado até então está sempre transparente, espesso e viscoso no início, mas agora somente líquido. Por isto estou na dúvida se devo continuar o tratamento, tendo em vista a irritação, constipação, espirros e rinorreia, aliados à não eliminação de muco com cor (que é o que imagino que precisa sair dos meus seios faciais); ou se está tudo dentro da normalidade do tratamento e se devo continuar ministrando o Sinustrat. O que o senhor acha?

Além disso, gostaria de saber se a Luffa é vasoconstritora ou vasodilatadora, para poder afinar o seu uso com o ciclo lunar, como sugerido pelo senhor em um dos textos divulgados.

Desde já, muito grato!
Paulo
--
http://pauloriosfilho.blogspot.com
http://camaraufba.blogspot.com
http://www.ocaocaoca.com

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Cistite

Várias cosas sobre cistite:

Gênito-urinário = sexualidad = conflito com IMAGEM masculina = muito frequente em mulheres, desde a tenra infância. É frequente a forma assitomática tanto em crianças (diminuindo o crescimento) como em gestantes (adiantando o parto) como nas mulheres em geral, manifestado muitas vezes como um desconforto ou simplesmente aumento da frequência de micções.

Tratamento 10x mais eficaz que os anti-vidas: Equisetum

Caso a N. queira conversar ou trocar SMS ou chat, fico standby

       Luiz Meira



Em 17 de outubro de 2012 21:43, Paulo escreveu:

Luiz hoje a N. me ligou pq teve uns pobreminha de sistite!!!rs

disse pra ela relaxar e comer frutas e coisas leves..
no perrengue ela acabou indo na medica e ela passou anti-vida pra ela ...looooogico...
disse pra ela tomar só 1 e despues tomar um yakut con lactobacilos...se necesssario...

sistite é:
nervoso, angustia, raiva, perrengues mentais q aglutinam na bexiga, sai sangue pq o canal esta estrangulado, 
 sao bacterias q se aproveitam do meio acido q é provocado pela acidez mental....as bacterias na verdade sao suas amigas...
basta deixar o meio mais alcalino q tudo se resolve..

Luiz tu achas q um pouco de bicarbonato de sodio tb ajuda????

Cy tu sabes algo mas sobre sistite????





segunda-feira, 9 de julho de 2012

Aloe em árvore respiratória para broncoespasmo - ASMA

Boa tarde, Dr.Luiz! 
Parabéns pelo site! 

Bem, faço uso da Aloe vera Barbadensis de modo geral, com resultados fantásticos!
Como profissional da saúde, sou criteriosa e meus experimentos são baseados em fundamentações científicas. Por isto, recentemente, 

substituí Revenil e Atrovent na nebulização por algumas gotas de Aloe Vera em água filtrada.
O resultado é imediato e de ação duradoura, sem riscos de taquicardia, vasoconstrição e toxidade.

É fato de que só utilizo produtos da Forever Living devido a margem de segurança oferecida. As gotas são extrato puro de Aloe Vera. 

Desejo bênçãos para sua vida pessoal e profissional! Na torcida para que você continúe a fazer postagens de excelência! 
Tudo de bom!

Edya Solange

Re: Aloe Arborescens - ANVISA

Olá Flávio,

retiro sua identificação para publicar nossa conversa sem constrange-lo.

Em 8 de julho de 2012 22:50, Flávio escreveu:
Dr.Luiz Meira,
 
Boa noite!
 
Peço sua permissão para exposição do relato abaixo:
 
Há cerca de 01 mês efetuei a compra do Suplemento Alimentar FRZ Aloe Arborescens

Considero a arborescens aprox.30 vezes mais tóxica do que a vera.

A intoxicação causada pela ingestão é insuficiência renal, quadro grave e oneroso aos cofres públicos.

 
no site português "curanatura.com" e o mesmo, enviado via UPS, encontra-se retido em Viracopos pela ANVISA.
 
Bem, eu e minha companheira nos tornamos adépitos de uma vida mais saudável, e procuramos hoje em dia a substituição dos hábitos alimentares de anos, acrescentando a nossa dieta alguns alimentos como linhaça, farelo de trigo, colágeno, etc. Temos desde então sentido nítida melhora, e passamos a colher informações de outros, como a farinha de banana verde e de maracujá, na roda de amigos ou em outros lugares, como sites pela internet. Numa dessas pesquisas nos informamos sobre a Babosa - Aloe Arborescens.

Não encontramos nada no mercado com o apelo "natural" do produto que estou importando.

Realmente não pensei que fosse interpretado como outra coisa, senão alimento, como qualquer outro que se encontra em lojas de produtos naturais tipo "Mundo Verde", principalmente pelo que está em sua composição: a Aloe Vera,

muito menos tóxica do que a arborescens
 
Mel e cana.

A mediadora da UPS enviou-me vários anexos, incluindo um em Power Point, com instruções bem burocráticas para desembaraço aduaneiro...de alto caráter intimidador, chegando até a sugerir a desistência no processo.
 
Confesso que estou confuso diante de tamanha exigência imposta para algo similar ao que comumente temos acesso, sem as mesmas restrições, aqui no Brasil.
 
Durante essa peregrinação esbarrei no seu site e pensei que seria impossível o meu caso ser isolado, e que talvez na sua vasta experiência tenha esbarrado em relato similar, podendo orientar a melhor maneira de não perder para a Máquina Burocrática do Governo

Manter um site pessoal e atender em domicílio são formas que encontrei para esquivar-me dos entraves institucionais.

utilizar a Aloe vera in natura foi a forma de obter resultados imediatos sem a necessidade ou riscos dos processos industriais.
 
por inadvertidamente ferir os princípios dos intereses da Dantesca Indústria Farmaceutica.

A perspectiva comercial, materialista, perante o processo saúde-doença é insustentável e degradante, no entanto, ultimamente temos a proibição do uso de Aloe por parte da Anvisa, o que considero adequado pois já constatei pessoalmente intoxicações com insuficiência renal aguda em usuários de Aloe arborescens.

 Mantenho a orientação para o uso da vera por ter observado abuso enorme na quantidade ingerida por muito tempo e por muitas pessoas sem qualquer relato ou observação clínica (incluindo exames sanguíneos) de intoxicações (observando o protocolo exposto: planta que já floriu, a folha mais perto do chão, sem qualquer fiapo da casca)

Obrigado pela sua atenção,
 
Flávio

mantenho-me ao dispor
Luiz Meira 

terça-feira, 26 de junho de 2012

Ministério da Saúde fortalece produção de fitoterápicos

Ministério da Saúde fortalece produção de fitoterápicos

Saúde Web 21 de junho de 2012

Para fortalecer o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, o Ministério da Saúde repassará R$ 6,7 milhões para 12 municípios. A medida está prevista em portaria publicada, nesta quarta-feira (20), no Diário Oficial da União. Os recursos serão aplicados em projetos locais de produção e distribuição no Sistema Único de Saúde (SUS) de plantas medicinais e fitoterápicos.

O montante deverá ser investido em aquisição de equipamentos e materiais, contratação de pessoal e qualificação técnica para promover a interação e a cooperação entre os agentes produtivos de plantas medicinais e fitoterápicos.

A iniciativa tem o propósito de desenvolver a produção de insumos de origem vegetal, preferencialmente com cultivo orgânico, considerando a agricultura familiar, o conhecimento tradicional e o científico. De acordo com o secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Carlos Gadelha, o objetivo do ministério é aliar a saúde à sustentabilidade e ao desenvolvimento socioeconomico do país. E diz que o intuito é mostra que é possível desenvolver a cadeia produtiva com sustentabilidade.

Os municípios que apresentaram projetos de produção e distribuição de plantas e fitoterápicos: Betim (MG), Botucatu (SP), Brejo da Madre de Deus (PE), Diorama (GO), Foz do Iguaçu (PR), Itapeva (SP), João Monlevade (MG), Pato Bragado (PR), Petrópolis (RJ), Rio de Janeiro (RJ), Satanrém (PA) e Toledo (PR).

RIO+20

Como forma de valorizar a biodiversidade do Brasil e seu uso sustentável, o Ministério da Saúde participa da conferência Rio+20 com uma mostra sobre plantas medicinais e fitoterápicos, localizado no Pier de Mauá. Os visitantes têm acesso a informações sobre o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, além de conhecerem desde o processo de cultivo dessas plantas, passando pela extração, ao uso da fitoterapia no SUS. A mostra segue aberta ao público até sexta-feira (22), quando encerra a conferência.

Para o secretário Carlos Gadelha, o desenvolvimento dos fitoterápicos no Brasil incorporam as três dimensões do desenvolvimento sustentável. Gadelha conta que os fitoterápicos aparece como uma oportunidade  para o Brasil mostrar que persegue um modelo de desenvolvimento que articula a dimensão econômica, social e ambiental, numa mesma iniciativa.

Lançado em 2008, o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos foi criado para garantir à população o acesso a  plantas medicinais e fitoterápicos, seguros e eficazes, ampliando as opções terapêuticas e fortalecendo o complexo produtivo e o uso sustentável da biodiversidade.

Os 12 fitoterápicos ofertados no SUS, com financiamento de Municípios, Estados e da União, são industrializados, e têm registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); portanto, com eficácia e segurança comprovadas. O Ministério da Saúde orienta o uso desses produtos apenas na atenção básica.

Fitoterapia

Os benefícios da fitoterapia são reconhecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Periodicamente, o órgão divulga recomendações para incentivar os países a formularem políticas e regulamentações nacionais referentes à utilização de medicamentos tradicionais de eficácia comprovada. A OMS também recomenda a exploração das possibilidades de se incorporar os detentores de conhecimento tradicional às atividades de atenção primária em saúde, fornecendo-lhes treinamento correspondente.

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Re: Evolução Tratamento

Que bom ver vc tomar as medicações adequadamente e auferir os resultados esperados.
(por mais simples que pareça, são poucos os que conseguem)


Em 20 de junho de 2012 20:25, Luciana escreveu:
Boa noite Luiz,

Minha vida anda muito atribulada, por isso a demora.
esta é a norma... nem precisa se justificar.... ainda bem que conseguiu escrever.
 

Bem, o Passiflora estou usando daquela forma antes de dormir. Durante a semana durmo nas primeiras 100 gotas. No fim de semena, acabo tomando umas 300. Está sendo maravilhoso pra minha ansiedade e o stress. Maravilhoso. Está sendo muito bom tbém para o meu sono. Durante a noite eu acordava em média duas vezes e isso me atrapalhava muitíssimo. Agora, estou dormindo a noite toda. Uma delícia.

 sequência das noites "deliciosas" vai imprimindo novo ânimo nos períodos de vigília
 
O Hydrastis 10% em soro fisiológico e o Sinustrat, já que devem ser administrados durante o banho, estou alternando entre um e outro. Tem dia que coloco um e tem dia que coloco outro. Dependendo do meu humor...rsrs

perfeito!
 
O hydrastis em homeopatia, estou administrando em 5x por dia 5 gotas. Meio irregular por causa dos meus horários e atividades.
 
Também notei uma melhora bem significativa no tratamento da riniti. Nem estou mais precisando usar o Naridrin (vício) durante o dia (não levo mais na bolsa), somente a noite, antes de dormir. Uma maravilha. Num vejo a hora de não precisar mais, definitivamente.

em breve, dependendo dos cuidados alimentares 

Melhorei bastante na alimentação. Aderi aos enlatados (grão de bico e ervilha) para aquelas ocasiões em que não há mto o que fazer. Às frutas secas tbém. Só não consegui ainda me organizar pra comprar as castanhas.

no momento, as que apresentam melhor relação custo-benefício (nutricional) são as amêndoas.

 
Também mudei um pouco o cardápio de frutas (côco, abacate...). 

bananas? 

Luiz, só não melhorei da sensação aérea muito forte na cabeça. Na verdade, ecrevi até pra édir um socorro. Eu não aguento mais viver com essa sensação. É muito ruim. O que eu posso fazer? Vc tem alguma pista?

envie nova foto da íris, agora sem os reflexos (num quarto escuro com uma só lâmpada ao lado do olho), e com 3 cm de distância da córnea)

Aguardo sua resposta.

vá utilizado Phosphorus C12 junto com o Hydrastis sub-lingual

Abraços,
-- 
Luciana
 
"A melhor maneira que a gente tem de fazer possível amanhã alguma coisa que não é possível de ser feita hj, é fazer hj aquilo que hj pode ser feito. Mas se eu não fizer hj o que hj pode ser feito e tentar fazer hj o que hj não pode ser feito, dificilmente eu faço amanhã o que hj eu tbém não pude fazer". (Paulo Freire)

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Plantas Tóxicas

Em 23 de abril de 2012 08:58, salo escreveu:
 
são basicament osmesmos ,parece ser copia de outros trabalhos.

na primeira linha do texto está escrito que é cópia do SINITOX.
a cópia é integral, sem intervenções.

A intenção é disseminar cuidados ao menos para as plantas reconhecidas por um grupo de âmbito nacional.

Está publicado há muitos anos, e sempre vem mantendo as primeiras posições em número de visitas ao site, cumprindo assim o objetivo almejado.

 
falta muitas plantas do cerrado e de mato grosso.

a perspectiva de universalidade em âmbito nacional restringe a maioria das plantas regionais conhecidas.


Date/Time: 2012-04-23 04:58:14 PDT

quarta-feira, 28 de março de 2012

Avena sativa

Em 28 de março de 2012 10:34, Fernanda escreveu:
Oi Luiz,

Tdo bom? Começamos a tomar os medicamentos. Ontem tomei a aveia antes de dormir, tomei umas 300 gotas, uma primeira vez, meia hora depois, dormi bem mais profundo.
 
Na madrugada (não olhei bem a hora) acordei, demorei um bom tempo p pegar no sono de novo, mas qdo dormi mais profundo de novo, nessa acordada na madrugada eu não tomei a medicação novamente. É aconselhável tomar??

sim, 
Quando acordar, antes de levantar da cama, já toma outra dose, que estaria disponível na cabeceira da cama. 
Pode ser mais 100 gotas, evitando assim maior efeito ao amanhecer.
pode deixar diluída em água, se não usar na madrugada, fica prá próxima vez que necessitar
 
Outra pergunta, além da limpeza dos seios da face há algo que eu possa fazer quando tiver com as enxaquecas??

Podemos usar Natrium homeopático...caso necessite, avise, ok?
 
E fiquei com dúvidas sobre o uso de polvilho.

raiz, mandioca... grosseira.

excepcionalmente poderia aceitar. 

Obrigada

Abraços 


Grande!
 
Fer


Luiz

sexta-feira, 9 de março de 2012

Aloe

2012/3/9 giovanna escreveu:
minha mae tem cancer de rim pode tomar isso
--
Date/Time: 2012-03-09 09:19:06 PST

Melhor utilizar outro produto pois a Babosa intoxica o rim.

Luiz Meira

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Re: buchinha

Olá Jorge,

A Luffa op irrita a mucosa, induzindo aumento da secreção durante 36hs.

Aprendendo a usar, vamos dosando em ondas, ora aumentando a secreção com uso mais freqüente, ora deixando a mucosa se recuperar durante uma semana ao menos. Sincronizar com as fases da lua também ajuda.

Alguns clientes chegam eliminar placas enegrecidas após dois anos de tratamento.


Luiz Meira
19  9612 6029


Em 16 de fevereiro de 2012 10:28, Jorge escreveu:
Oi Luiz

Deixe-me te perguntar uma coisa: estou usando a luffa há uns 10 dias, uso ela bem diluída em água destilada, pingando 2 gotas em cada narina 2 vezes por dia. Venho tendo problemas de sinusite há muitos anos, não tenho qualquer dor, mas sim a obstrução nasal, especialmente quando me deito. Creio que há muita coisa para limpar nos meus seios da face, e deve ser mesmo tarefa para muito tempo de uso da luffa.

Também estou providenciando a ELIMINAÇÃO DAS CAUSAS, ou seja, vou me mudar, mas só em novembro. Tenho um apartamento que está alugado, e o contrato termina em novembro, quando vou para lá. Antes disto, tenho de aguentar nesta casa.

O que está ocorrendo é que meu nariz continua muito congestionado. Fica escorrendo uma secreção líquida quase todo o tempo, penso que talvez seja um sofrimento necessário, até que a luffa faça o trabalho de limpeza, o que pode demorar meses.

De qualquer forma, gostaria de ter uma opinião sua, o que vc acha?

Vc está em que cidade?

Em Campinas,

Agora no carnaval, fazendo um roteiro de atendimento clínico domiciliar no trajeto Campinas - São Paulo - Petrópolis - Rio, Copacabana - Guaratinguetá - Campinas.

Abraços 
Luiz 

Abraços


Jorge

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Buchinha

Em 24 de janeiro de 2012 01:46, Jorge escreveu:
 
oi Luiz!
Estou passando muito, muito mal agora!

Minha empregada sugeriu e eu resolvi usar a buchinha para uma sinusite que tenho há anos.

O que fiz foi cozinhar uma buchinha seca em pouca água, coloquei o caldo em um frasco com conta-gotas e então pinguei entre 8 a 10 gotas em cada narina, deitado na cama e com a cabeça inclinada para trás.

Repeti este procedimento por 3 vezes durante o dia de hoje, e o resultado foi que a noite eu estava com completa congestão nasal, não conseguindo respirar.

Não tive alternativa a não ser pingar algumas gotas de um remédio vaso constritor que tinha aqui, que não usava há anos. Estava inclusive com o prazo de validade vencido há um ano.

E para completar, minha garganta inflamou drasticamente, de forma que neste momento não consigo engolir!

A luffa lesa a pele da garganta e também pode prejudicar o esôfago e irritar o estômago. 
Existe a possibilidade de sangramentos digestivos ou de outras áreas do corpo. 
Esta situação necessitaria de acompanhamento clínico por 24hs.

 
Um momento de total e absoluto horror que estou vivendo!


é uma pena que somente agora acessei sua mensagem.

Ao usar uma dose 100 vezes menor (Luffa op em solução hídrica a 20%) caí de cama, prostrado, com febre... durante 6hs.
Após 10 anos de análises e ensaios, concluí que a diluição de 5% em solução fisiológica é a mais conveniente para adultos em geral, para mim utilizo 2,5%.

 
Mas a tragédia pode gerar frutos, e pesquisando na internet acabei chegando em seu ótimo site.

Agradeço,
São mensagens como a sua que me estimulam, orientando os conteúdos a serem abordados, enriquecendo com a dinâmica pessoal. 

 

Moro em uma casa de 800 metros quadrados, cheia de mofo, fungos e pó, tenho de mudar daqui, ELIMINAR A CAUSA. 

Vou fazer isto, mas até lá, preciso de algum alívio, o que vc me sugere?..


800m? .... manter o mais arejada possível,
esfregar vassoura dura com cândida onde for possível o acesso às manchas de mofo.
considerar a possibilidade de habitar uma edificação provisória no quintal.


Caso tenha ficado antipático à Luffa, podemos planejar outras alternativas a drenagem dos seios da face, como por exemplo Hydrastis


Veja um pouco mais sobre bolor:

 

Obrigado, meu querido!



Grande Abraço! 

Date/Time: 2012-01-23 19:46
Referrer: http://luizmeira.com/fito.htm